Moema Vilela é escritora e jornalista, doutora em Letras, professora nos cursos de Escrita Criativa e Letras na PUCRS. Autora de A Dupla vida de Dadá (Penalux, 2018), de Guernica (Udumbara, 2017), Quis dizer (Udumbara, 2017) e Ter saudade era bom (Dublinense, 2014), finalista do Açorianos de Literatura. Publicou contos e poesias em revistas literárias e em diversas antologias. Graduada em Jornalismo (UFMS), mestre em Linguística e Semiótica (UFMS) e em Escrita Criativa (PUCRS).

Número dos sapatos ou onde eles vão?

Yo soy yo y mi circunstancia...

Eu sou mais Wisława Szymborska...